×
O QUE PROCURA?
 
 
X
JÁ ESTÁ REGISTADA(O)?
Se já tem uma conta, por favor efetue o seu login.
 
 
NOVOS CLIENTES
Ao criar uma conta, poderá realizar rapidamente as suas compras, inscrições em formações, guardar as suas moradas de envio, consultar as suas encomendas ou produtos favoritos e muito mais.
Criar Conta

Blog

Acrílico, Gel, Dipping e Verniz Gel. A confusão

Acrílico, Gel, Dipping e Verniz Gel. A confusão
Acrílico, gel, dipping e verniz de gel… a confusão…

Olá mais uma vez.
Após ver tantas questões e “invenções” de tantas técnicas e marcas, resolvi tentar passar-vos mais alguma informação, pois infelizmente muito do que é dito não passa de marketing e no entanto é algo fundamental e que todas as nail designers deveriam ter no mínimo um conhecimento básico.

É um texto mais técnico do que vos tenho vindo a habituar, mas não há muita formas de explicar melhor o que vem a seguir…

 
O que é tudo isto?
Em primeiro lugar é necessário saber que todos estes sistemas derivam da família dos plásticos acrílicos.


Tudo teve origem quando um dentista ao partir a própria unha resolveu usar o material dentário endurecendo-a na tentativa de travar a dor. Sem querer acabou por inventar o sistema que todos nós hoje conhecemos como acrílico. Ao deparar-se com o seu sucesso investigou mais acerca do assunto e derivaram daqui materiais próprios para colocação nas unhas.

Basicamente, dos sistemas actuais, embora muito mais evoluído, o sistema liquido e pó, mais conhecido por acrílico, é o mais antigo e por isso mesmo começamos por esse.

É realmente difícil encontrar um bom sistema de acrílico hoje em dia, isto porque são as técnicas que fazem a sua mistura, se misturam pó ou liquido a mais, o acrílico não funcionará como deveria, então tem de se conseguir uma larga escala de bom funcionamento tendo em conta o erro de quantidade das técnicas e mesmo assim garantir boa qualidade.
Por norma, no acrílico, o brilho deveria ser obtido através da limagem (sim isso é possível) mas embora a unha fique mais fina, também fica mais poroso, permitindo que no dia a dia a unha fique manchada. Por esse motivo, ou simplesmente porque foi assim que aprenderam, as técnicas hoje em dia preferem usar um top coat em gel para selar a porosidade do acrílico, protege-lo de manchas e dos químicos do dia a dia (detergentes, acetonas…) e ter um resultado final mais rápido, menos cansativo e mais brilhante.
Embora muita gente goste e cada vez esteja mais "suave", o cheiro do monómero é o seu maior problema. No entanto já existem no mercado produtos para inibir a propagação do odor do monómero
Vantagens: 
  • Mais duro
  • Unhas mais finas 
  • Com experiência, permite aplicação mais rápida
  • Permite 3D muito muito fino
  • Aquecimento reduzido - Quase nulo


Desvantagens: 
  • Cheiro do monomero
  • Dificuldade em achar um bom produto
  • A temperatura deve rondar entre os 22º a 25º para funcionar perfeitamente


O gel, é diferente… ao contrário do acrílico, a mistura de monómeros e polímeros já vem feita e é sempre igual, mas como é um gel e não polimeriza ao ar (como o acrílico) com o calor corporal tem tendência a ficar mais liquido, escorrendo para as cutículas. Assim é necessário uma Polimerização rápida para que não escorra e com isso vem o calor que é tão conhecido pelas clientes. 

Em ambos os sistemas, acrílico e gel, o calor deriva da fricção das moléculas, passando de cadeias de moléculas pequenas para longas e neste processo vem o endurecimento, só que no gel, devido à rapidez que tem de existir, o calor é mais intenso.
Hoje em dia, com a evolução, os fabricantes tentam obter a mesma resistência, reduzindo o calor, para isso juntam outros ingredientes como por exemplo a fibra de vidro. Embora já tenham conseguido reduzir bastante, muitos consideram que os géis de antigamente eram mais resistentes que os de hoje em dia…. 
Algo que também teria de vir à conversa em falar em polimerização é o assunto do UV e do cancro, mas como esse será um post um pouco grande, terei de deixar para a semana, não percam porque irá esclarecer muitas questões 😀
Vantagens: 

• facilidade de aprendizagem
• mistura homogénea de fábrica 
• fácil limagem
• mais elástico acompanhando os movimentos naturais do prato da unha


Desvantagens: 

• Aquecimento 
• Por existirem mais técnicas que usam, existe maior oferta, com a maior oferta o preço baixa mas baixando o preço também os ingredientes usados são, normalmente, de qualidade inferior, alguns inclusive têm excesso de ferro que é cancerígeno

O dipping não é novo, como muitos pensam. O dipping já existe há muitos anos e quando apareceu pela primeira vez não “vingou” no mercado, sempre existiu quem preferisse o sistema, mas muitos desistiram. Segundo o Dr. Doug Schoon, um cientista altamente reconhecido e talvez o maior nome cientifico da nossa industria, tanto no gel como no acrílico os polímeros “dão as mãos” criando uma cadeia tipo escada conhecida por “cross-links”, no dipping os polímeros entrelaçam-se como no cabelo as rastas, mas sem se interligarem. Já os géis e acrílicos, criam uma estrutura tipo rede e são muito mais duráveis e fortes.

Basicamente o dipping é um sistema semelhante ao verniz de gel, com uma estrutura de polímeros diferente, em que se coloca uma resina pincelada, mergulha-se o dedo num pó acrílico e pincela-se o activador para que desencadeie o endurecimento. No entanto, a maior diferença é que o “dip” significa “mergulhar”, ou seja, a cliente mergulha a unha no pó, o mesmo pó onde todas as outras clientes já mergulharam os dedos e isto é muito pouco higiénico. Também há quem derrame o pó na unha… mas sejamos sinceros… vão mesmo derramar o pó para cima da unha e deitar fora o excesso para o lixo??? Diria eu que talvez 10% das técnicas que usam o sistema o fariam…
Para além disso ainda há quem considere que a resina (cola) é muito mais agressiva do que qualquer gel ou acrílico para a unha natural, basta aproximar a cara e em muitos casos os olhos ficam a lacrimejar e o nariz a arder.

Vantagens: 

• Como a estrutura de polímeros é diferente, a unha é mais elástica e leve
• Mais simples de aprender e assim obter mais rapidamente resultados desejados

Desvantagens: 

• Higiene
• Muitas profissionais queixam-se da dificuldade de retirar o produto da unha.


Existe também a fibra de vidro que é um sistema tão antigo como o dipping e que funciona da mesma forma. A única coisa diferente é que em vez de pó acrílico usa-se fios de fibra de vidro e por esse motivo é mais higiénico e menos elástico.


Já o verniz de gel foi a ultima grande invenção do mercado, por ser um intermédio entre o verniz e o gel. Embora tenha tido muita resistência inicial pelas profissionais, o que é certo é que ainda não existia nada entre o verniz e o gel ou acrílico...
É um produto que apareceu para ser um verniz de longa duração, 2 a 3 semanas no máximo, e hoje encontramos verniz de gel que dura tanto como o gel.. até umas 6 semanas. Genericamente falando, o verniz de gel é 70% verniz e 30% gel, daí ser muito mais elástico, pois a cadeia em escada dos polímeros é muito inferior ao gel. No entanto, tal como o dipping é muito mais fácil de partir para as clientes mais “desastradas” que o gel ou acrílico e a unha não é tão resistente como no gel ou acrílico. Na minha opinião ganha pontos no que diz respeito à facilidade de aplicação e em relação ao dipping é muito mais higiénico, pois o pincel desliza apenas na superfície da unha, para além de não existir desperdício de produto (caso derramem o pó e deitem fora)
Vantagens: 
  • Aprendizagem rápida
  • Aplicação rápida
  • A sua resistencia deriva da sua extrema elasticidade.
  • Embora não tenha a mesma qualidade/resistência/dureza as cores de verniz gel podem ser usadas numa base de gel

Desvantagens: 
  • A cliente confunde gel com verniz de gel e exige qualidade igual ao gel. 
  • As cores de um bom verniz de gel são mais caras que um gel de cor.

Com tudo isto, ficaram a entender que a base química dos produtos é quase igual, o que permite que os produtos possam ser usados em conjunto. 
Por exemplo: podem construir com acrílico e pintar com gel, podem construir com gel e decorar com acrílico, podem usar cores de verniz de gel no acrílico ou gel, podem juntar acrílico ao gel para obter uma consistência mais espessa, etc… só precisam de entender como usar, pois por exemplo, se aplicarem uma cor de gel numa base de verniz de gel ela vai estalar porque a base é muito mais elástica e a cor é dura.
 - MUITO IMPORTANTE - convém fazer isto sempre com a mesma marca para garantir a compatibilidade dos produtos, convém usar marcas reconhecidas e principalmente europeias e não procurem apenas pelos produtos mais baratos, pois já o ditado diz que o barato sai caro…

Basicamente tudo o resto é marketing.. coisas como géis/acrílicos híbridos em que misturam acrílico no gel, ou usam gel misturando liquido e pó tal como se fosse acrílico e polimeriza no UV (ou LED) é marketing, pois a base da sua tecnologia é exactamente igual e a polimerização é igual. Também qualquer profissional pode juntar um pouco de pó acrílico a um gel para obter a consistência que mais deseja sem alterar a resistência ou durabilidade (obviamente sem exageros)

Assim sendo é uma questão de opinião, gosto, e do que a cliente pede, para optarem pelo sistema que é melhor para o vosso salão e para as vossas clientes.

Espero que seja útil e tenha desvendado alguns "mistérios"….

*Polimeriza - Termo correcto para o usual "catalisa".

Para todas as interessadas no assunto, aqui fica um local onde podem aprofundar muito mais o vosso conhecimento:
http://www.schoonscientific.com
O site HN Hit Nails - A Academia de unhas mais premiada de Portugal utiliza cookies. Ao navegar está a concordar com a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies. Aceito
×